GPL TOX - Perfil de Tóxicos Ambientais

 >>>  CLIQUE AQUI PARA VER O LAUDO COMPLETO

Todos os dias, somos expostos a centenas de produtos químicos tóxicos, como fármacos, pesticidas, alimentos embalados, produtos domésticos e poluição ambiental. À medida que nos tornamos mais acostumados com produtos químicos, e como o meio ambiente mais contaminado, somos confrontados com um ritmo acelerado de doenças crônicas como câncer, doenças cardíacas, síndrome da fadiga crônica, sensibilidade química, transtornos do espectro autista (TEA),  TDAH, transtornos autoimunes, doença de Parkinson, doença de Alzheimer entre outros transtornos.

Porque a exposição a poluentes ambientais tem sido associada a muitas doenças crônicas, O Laboratório Great Plains criou GPL-Tox, um perfil de exposição orgânico tóxico que analisa a presença de 168 produtos químicos tóxicos diferentes, incluindo pesticidas organofosfatos, ftalatos, benzeno, xileno, cloreto de vinila piretrina, inseticidas e outros. Este perfil também inclui Tigliglicina (TG), um marcador para doenças mitôcondriais que resultam de mutações do DNA mitocondrial. Estas mutações podem ser causados pela exposição a produtos químicos tóxicos, infecções, inflamação e deficiências nutricionais.

 Vantagens do Perfil GPL-Tox
  • William Shaw, Ph.D., diretor do laboratório para o Laboratório Great Plains, Inc. é um dos poucos profissionais no mundo que é duplamente certificado, ambos em química clínica e toxicologia pela Câmara Americana de Química Clínica. Além disso, ele tem uma vasta experiência com o teste ácidos orgânicos para doenças genéticas em um grande hospital pediátrico.
  • GPL-Tox testa diretamente 11 compostos exclusivos. Fornece uma avaliação de 168 produtos químicos tóxicos, testando diferentes metabólitos específicos. Toda a informação é avaliada a partir de uma única amostra de urina.
  • GPL-Tox revoluciona o desenvolvimento de testes, expandindo o escopo para incluir tanto os poluentes ambientais quanto metabólitos função mitocondrial. O Laboratório Great Plains, Inc. sugere que o perfil abrangente GPL-Tox seja usado como teste de rastreio inicial para pacientes com doenças graves ou crônicas.
  • GPL-Tox usa o poder da espectrometria de massa avançada (MS / MS) e da especificidade de monitoramento de reação múltipla de ion. Espectrometria de massa convencional é adequada para as substâncias presentes na urina em concentrações elevadas, mas é inadequada para o ensaio de substâncias tais como testes genético, mitocondrial, e marcadores químicos tóxicos. Estes marcadores encontrados em concentrações muito baixas na urina desaparecem no ruído de base com espectrometria de massa convencional. Tipicamente, muitos testes individuais diferentes são necessários para determinar os níveis de cada poluente, mas a nova tecnologia de GPL-Tox torna possível num único teste medindo metabólitos urinários.
 Os poluentes ambientais testado pelo GPL-Tox

Os ftalatos

Talvez o grupo mais generalizada de produtos químicos tóxicos encontrados em nosso ambiente. Os ftalatos são comumente encontrados em loções após barba, aspirina, cosméticos, detergentes, alimentos cozidos com micro-ondas em recipientes plásticos, drogas farmacêuticas orais, produtos intravenosos preparadas em sacos plásticos, sprays de cabelo, inseticidas, repelentes de insetos, esmalte para as unhas, removedor de esmalte de unha, produtos de cuidados da pele , adesivos, explosivos, verniz, produtos de limpeza, perfumes, revestimentos de papel, tintas de impressão, vidros de segurança e vernizes. Os ftalatos têm sido implicados em danos de reprodução, depressão da função de leucócitos e câncer.  Os ftalatos também impedem a coagulação do sangue, reduzem a testosterona, e altera o desenvolvimento sexual em crianças. Os baixos níveis de ftalatos podem feminilizar o cérebro masculino do feto, enquanto níveis elevados pode hiper masculinizar o cérebro masculino em desenvolvimento.

Cloreto de vinila

Cloreto de vinila é um intermediário na síntese de diversos produtos químicos comerciais, incluindo policloreto de vinila (PVC). A exposição ao cloreto de vinila pode causar depressão do sistema nervoso central, náusea, dor de cabeça, tonturas, danos no fígado, alterações ósseas degenerativas, trombocitopenia, aumento do baço e morte.

Benzeno

O benzeno é um solvente orgânico que é difundido no ambiente. O benzeno é um subproduto de todas as fontes de combustão, incluindo o fumo do cigarro,  e é liberado pela liberação de gases com materiais sintéticos, e é um poluente lançado por numerosos processos industriais. O benzeno é um produto químico extremamente tóxico que é mutagênico e carcinogênico. Exposições elevadas pode causar sintomas de náuseas, vômitos, tonturas, falta de coordenação, depressão do sistema nervoso central e morte. Ela também pode causar alterações hematológicas.

Piretrinas

Piretrinas são amplamente utilizados como inseticidas. Exposição durante a gravidez dobra o risco de autismo. Piretrinas podem afetar o desenvolvimento neurológico, interromper hormônios, provocar o câncer e suprimir o sistema imunológico.

Xilenos

Xilenos (dimetilbenzenos) são solventes encontrada não apenas em produtos comuns, tais como tintas, vernizes, pesticidas, líquidos de limpeza, gases de escapamentos de combustíveis, mas também em perfumes e repelentes de insetos. Xilenos são oxidados no fígado e ligados à glicina antes de ser eliminado na urina. Níveis elevados de xileno pode ser devido à utilização de certos perfumes e repelentes de insetos. Exposições elevadas cria um aumento do estresse oxidativo, causando sintomas como náuseas, vômitos, tonturas, depressão do sistema nervoso central e morte. A exposição ocupacional é frequentemente encontrada em laboratórios de patologia onde xileno é usado para processamento de tecidos.

Estireno

O estireno é usado na fabricação de plásticos, em materiais de construção, e é encontrado em gases de escapamentos de combustíveis. O poliestireno e seus copolímeros são amplamente utilizados como materiais de embalagem de alimentos. Foi relatada a capacidade de monômero de estireno para vazar apartir de embalagens de poliestireno para alimentos. A exposição ocupacional devido à inalação de grandes quantidades de estireno impacta negativamente o sistema nervoso central, causa problemas de concentração, fraqueza muscular, fadiga, náuseas, irritação das membranas mucosas dos olhos, nariz e garganta.

Organofosfatos

Organofosfatos são um dos grupos mais tóxicos de substâncias utilizadas em todo o mundo. Eles são frequentemente usados como armas bioquímicas e agentes terroristas, mas são mais comumente usados em formulações de pesticidas. Organofosfatos são inibidores de enzimas colinesterase, levando a sobre estimulação de células nervosas, causando a transpiração, salivação, diarreia, comportamento anormal, incluindo a depressão e agressão. Crianças expostas à organofosfatos tem mais de duas vezes o risco de desenvolvimento de transtorno invasivo do desenvolvimento (TID) ou Transtorno do Espectro Autista (TEA). Um estudo feito na área de San Francisco Bay constatou que, em áreas agrícolas da Califórnia, as crianças nascidas de mães que vivem a menos de 500 metros de campos onde foram usados pesticidas organoclorados têm mais de 6 vezes chances de desenvolver autismo do que as crianças cujas mães não vivem perto de tais campos. O risco de TEA aumentou com a proximidade e diminuiu com a distancia de campos onde são usados o  organoclorado.  Exposição materna a organofosfatos tem sido associado a vários resultados adversos, incluindo ter gestações mais curtas e crianças com reflexos depreciados.

MTBE e ETBE

MTBE e ETBE são aditivos de gasolina usados para melhorar a octanagem. A exposição a estes compostos é muito provável devido à contaminação das águas subterrâneas, e exposição por inalação ou cutânea à gasolina ou seus vapores e gases de escape. MTBE tem demonstrado causar problemas hepáticos, renal e a toxicidade do sistema nervoso central, neurotoxicidade periférica, e câncer em animais. Uma vez que os metabólitos destes compostos são os mesmos, o ETBE pode ser igualmente tóxico.

Ácido 2, 4-diclorofenoxiacético(2,4-D)

Um herbicida muito comum que era uma parte do agente laranja, utilizado pelos Estados Unidos durante a guerra do Vietnã para aumentar a visibilidade para aviões de guerra. O mesmo destruía matos, plantas e culturas. É mais comumente usado na agricultura em alimentos geneticamente modificados, e como um assassino de erva daninha para os gramados. A exposição a 2, 4-D através da pele ou ingestão oral está associada com neurite, fraqueza, náusea, dor abdominal, dor de cabeça, tonturas, neuropatia periférica, estupor, convulsões, danos cerebrais e reflexos prejudicada. 2, 4-D é um disruptor endócrino conhecido,  pode bloquear distribuição hormonal e provocar o colapso glandular.

 GPL-Tox é recomendado para o TRANSTORNOS SEGUINTES:
  • Doença de Alzheimer
  • Amiotrófica Lacteroclerosis (ALS)
  • Isso já está em português
  • Transtorno de ansiedade
  • Apraxia
  • Artrite
  • Asma
  • Déficit de atenção (ADD)
  • Déficit de atenção com hiperatividade (TDAH)
  • Autismo
  • Doenças autoimunes
  • Doença bipolar
  • Câncer
  • Paralisia cerebral
  • Síndrome da fadiga crônica
  • doença de Crohn
  • Depressão
  • Transtorno do desenvolvimento
  • Síndrome de Down
  • Epilepsia
  • Falha de crescimento
  • Fibromialgia
  • As doenças genéticas
  • Síndrome do intestino irritável
  • Dificuldade de aprendizagem
  • Desordem mitocôndria
  • Esclerose múltipla
  • O transtorno obsessivo compulsivo (TOC)
  • Exposições ocupacionais
  • Doença de Parkinson
  • Neuropatia periférica
  • Esquizofrenia
  • Distúrbios convulsivos
  • O lúpus eritematoso sistêmico
  • Transtornos de tiques
  • síndrome de Tourette
  • A colite ulcerativa
 
 Doenças mitocondriais

Os testes GPL-Tox de perfil para Tigliglicina (TG), um dos marcadores mais específicos para doenças mitocondriais resultantes de mutações do DNA mitocondrial. Estas mutações podem resultar da exposição a produtos químicos tóxicos, infecções, inflamação, e deficiências nutricionais. As mitocôndrias são importantes em todas as células do corpo, mas são especialmente importantes para os órgãos que utilizam grandes quantidades de energia, tais como os músculos, o coração e cérebro. As mitocôndrias também têm várias outras funções importantes da célula, incluindo a síntese de esteróides, a regulação do cálcio, a produção de radicais livres, e a indução de apoteose ou morte celular programada, todas as quais estão envolvidas na patogênese de numerosas desordens. O marcador utilizado no perfil de GPL-Tox indica disfunção mitocondrial por monitorização de um metabólito que é elevado em deficiência mitocondrial de co-factores, tais como o NAD +, coenzimas contendo flavina, e coenzima Q10. Os distúrbios associados com disfunção mitocondrial incluem autismo, doença de Parkinson e cancro.

 METABÓLITOS DE POLUENTES testado pelo GPL-Tox

Ácido 2-Metil hipúrico (2MHA), Ácido 3-Metil hipúrico (3MHA), Àcido 4-Metil hipúrico (4MHA)
Estes são metabólitos de xilenos, solventes encontrados em tintas, vernizes, produtos de limpeza, pesticidas e gasolina. A exposição ao xilenos gera isômeros de ácido metil hipúrico. Evitar / reduzir a exposição a estas substâncias.

N-acetil Cisteína  Fenil (NAP)
NAP é um metabólito de benzeno. O benzeno é um solvente que é difundido no ambiente. Pode ser encontrado na fumaça do cigarro e gasolina, e é um subproduto de todos os tipos de combustão, incluindo a exaustão de veículos motorizados. O tratamento consiste na remoção de fontes de exposição.

Ácido Ácido Fenilglioxílico (PGO)
A exposição ao estireno ambiental pode aumentar ligeiramente os ácidos Fenilglioxílico e mandélico. Reduzir a exposição eliminando o uso de recipientes plásticos e isopor para cozinhar, aquecer, comer ou beber. Eliminação de estireno pode ser acelerada com a suplementação de glutationa e N-acetil cisteína (NAC).

Ácido 2-hidróxiisobutírico (2HIB)
Ácido 2-hidróxiisobutírico é formado endogenamente como um produto da degradação de aminoácidos de cadeia ramificada e a cetogênese. Este composto é também o principal metabólito de intensificadores de octanagem da gasolina, como MTBE e de ETBE. Níveis elevados indicam a exposição ambiental e valores muito elevados têm sido relatados em transtornos genéticos.

Monoetil ftalato (MEP)
MEP a partir de dietilftalato é o metabólito mais abundante ftalato encontrados na urina. O dietilftalato é usado em produtos de plástico. Os valores elevados indicam a exposição de várias fontes possíveis. Eliminação dos ftalatos pode ser acelerado por tratamento de sauna.

Dimetilfosfato (DMP) & dietilfosfato (DEP)
DMP e DEP são principais metabólitos de muitos pesticidas organofosfatos. Reduzir a exposição ingerindo apenas alimentos orgânicos e evitar o uso de pesticidas em sua casa ou jardim. Viver perto de áreas agrícolas ou de campos de golfe e áreas regularmente pulverizadas com pesticidas vai aumentar a exposição. Eliminação de organofosfatos pode ser acelerado por tratamento sauna.

Ácido 3-fenoxibenzóico (3PBA)
3-fenoxibenzóico o ácido é um metabólito de inseticidas piretróides. Eliminação pode ser acelerado por tratamento sauna.

2,4- Ácido diclorofenoxiacético (2,4-D)
2,4-D foi um ingrediente do agente laranja e é mais comumente usado na agricultura de alimentos geneticamente modificados e como uma herbicida para gramados. Reduza a exposição por comer alimentos orgânicos e evite o uso de pesticidas em sua casa ou jardim.

Ácido Tioglicólico (TDG)
TDG é o metabólito principal de cloreto de vinila e pode indicar a exposição a vários compostos comerciais importantes, incluindo cloreto de polivinila de certas garrafas de plástico. Valores urinários elevados de TDG também podem ser encontrados após a ingestão de grandes quantidades de cebola fresca, ou após a administração de vitamina B12, devido à estimulação do metabolismo dos aminoácidos de enxofre.

Tiglilglicina (TG)
A TG é um marcador da disfunção mitocondrial. As mutações de DNA mitocondrial pode resultar da exposição a produtos químicos tóxicos, infecções, inflamação, e deficiências nutricionais.

N-Acetil (Carbometil) Cisteina (NAE)
NAE é um metabólito de acrilamida, que é desintoxicado através de um processo de duas etapas.  Primeira acrilamida é metabolizada pelo citocromo P450s.  Segundo ele é conjugado a glutationa para torná-lo mais água solúvel.  Acrilamida é usada em muitos processos industriais, tais como plásticos, embalagens para alimentos, cosméticos, esmaltes, tinturas e tratamento de água potável.  Níveis elevados de acrilamida podem elevar o risco de câncer e causar danos neurológicos.  A suplementação com glutationa pode contribuir para a eliminação deste composto.

Difenil Fosfato
Este é um metabólito do retardante de chamas fosfato de trifenil organofosforados (TPHP), que é usado em plásticos, equipamentos eletrônicos, esmaltes e resinas.  TPHP pode causar disrupção endócrina.  Estudos também têm associadas TPHP à problemas reprodutivos e de desenvolvimento.

Perclorato

Perclorato é usado na produção de combustível de foguetes, mísseis, fogos de artifício, foguetes, explosivos, fertilizantes e água sanitária.  Estudos mostram que o perclorato é encontrado frequentemente contaminando o abastecimento de água e fontes de alimento.  Isso pode interromper a capacidade da tiróide de produzir hormônios.  A EPA também rotulou perclorato de um provável carcinogênico humano.  Pacientes que estão contaminados com perclorato podem usar um sistema de tratamento de água de osmose reversa para remover perclorato.

(3,4- Di-hidroxi butil) N-acetil cisteína (NABD)
NADB é um metabolito do 1,3 butadieno, que é evidente da exposição a borracha sintética, tais como pneus.  1,3-butadieno é um conhecido agente cancerígeno e tem sido associada ao aumento do risco de doença cardiovascular.  Indivíduos que entram em contacto com a borracha, como pneus de carro, podem absorver butadieno 1,3 através da pele.

(2, Hidroxipropil) N-acetil cisteína (NAHP)
NAHP é um metabolito do óxido de propileno que é usado na produção de plásticos e como um fumigante.  Ele também é usado na preparação de lubrificantes, surfactantes e óleo desemulsificadores e como aditivo alimentar, herbicida, microbicida, inseticida, fungicida e miticide.  Óxido de propileno é um provável carcinogênico humano.

N-acetil cisteína (propil) (NAPR)
NAPR é um metabólito de 1-propila.  A exposição crônica pode levar à diminuição da função cognitiva e disfunção do sistema nervoso central.  A exposição aguda pode levar a dores de cabeça.

acido 2-Hidroxietil mercaptúrico  (HEMA)
HEMA é um metabolito do óxido de etileno, que é usado na produção de defensivos agrícolas, detergentes, produtos farmacêuticos e produtos de cuidados pessoais.  Exposição crônica a óxido de etileno foi determinada a ser mutagênicos aos seres humanos.    HEMA é também um metabolito do cloreto de vinil e halopropane, que são usados em muitos processos químicos comerciais, tais como a colagem de espuma, limpeza a seco e na produção de solventes.  A suplementação com glutatione deve ajudar no processo de desintoxicação desses produtos químicos.

N-Acetil Cisteína (2-Cianoetil) (NACE)
NACE é um metabólito de acrilonitrilo, que é usado na produção de fibras acrílicas, resinas e borracha.  Acrilonitrila é metabolizada pelo citocromo P450s e então conjugada de glutationa.  A suplementação com glutationa deve ajudar a desintoxicação de acrilonitrila.

RECOMENDAÇÕES PARA A DESINTOXICAÇÃO DE SUBSTÂNCIAS QUÍMICAS  

Se você ou um paciente seu realizou o GPL-TOX e/ou glifosato e encontraram níveis moderados-altos de quaisquer compostos, existem algumas coisas que você pode fazer para ajudar seu corpo a eliminar as toxinas e evitar futuras exposições.  Os primeiros passos para reduzir a quantidade de toxinas atualmente no corpo são trocar a sua alimentação para apenas alimentos orgânicos e água potável que não tem presença de toxinas comuns, incluindo pesticidas filtradas.  Culturas alimentares mais convencionais são expostas a doses maiores de pesticidas e herbicidas, e trocando para orgânico você evitará exposição para centenas dessas substâncias tóxicas.  Muitos destes produtos químicos também contaminaram nossos suprimentos de água.  Instalar um sistema de filtragem de água de alta qualidade no casa que elimine esses elementos é muito importante e existem várias opções disponíveis.

O próximo passo para evitar futuras exposições é mudar os produtos que você usa diariamente em casa – de recipientes de alimentos e bebidas, produtos de beleza e produtos de limpeza.  Em vez de usar recipientes de comida e garrafas plásticas, use recipientes de vidro ou metal.  Nunca coloque alimentos no microondas em recipientes de plástico e não beba líquidos em recipientes de isopor ou plásticos, principalmente de estiverem quentes. Certifique-se de seu xampu, sabonetes, loções e outros produtos de beleza são livres de ftalatos.  Usar produtos de limpeza feitos de ingredientes naturais ou fazer o seu próprio em casa.

Para eliminar as toxinas do corpo, é altamente recomendável fazer exercícios e o uso de saunas, especialmente terapia de sauna infravermelho para expulsar os produtos químicos através do suor.  Sauna de infravermelhos é superior à sauna convencional porque penetra mais profundamente na pele e no corpo, aumentando a circulação nos vasos sanguíneos e fazendo com que o corpo comece a liberar muitos dos produtos químicos armazenados na gordura corporal.

Existem dois suplementos que são particularmente úteis para ajudar o corpo a desintoxicar.  A primeira é a glutationa, ou seu precursor N-acetilcisteína.  Glutationa é uma das moléculas mais comuns utilizadas pelo organismo para eliminar substâncias químicas tóxicas.  Se você está constantemente exposto a substâncias tóxicas sua reserva de glutationa está esgotada.  O segundo suplemento é vitamina B3 (Niacina).  Algumas pessoas não gostam da descarga que sai quando se toma a Niacina, porém, esta é uma lavagem de vasos sangüíneos dilatando-se, que é útil no processo de desintoxicação.  Se for sensível à lavagem, comece com uma dosagem mais baixa vá aumentando aos poucos.